ASSOCIE-SE

Associe-se e desfrute de muitas vantagens

CLIQUE AQUI

Entre em contato 51 3268-1611

A+ A-

Ativistas realizam greve de fome por justiça no STF

MPA/Reprodução

Seis militantes de movimentos populares brasileiros estão, desde a terça-feira passada (31), em greve de fome pela pela "dor e o sofrimento dos brasileiros e brasileiras" e pela soltura do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), que está preso em Curitiba desde o dia 7 de abril deste ano. A mobilização segue por tempo indeterminado.

"Nossa opção por esse gesto extremo de luta decorre da situação de calamidade na qual se encontra nossa Nação, com a fome e as epidemias retornando e o desemprego desgraçando a vida de nosso povo", diz o documento protocolado pelos/as ativistas no Supremo Tribunal Federal ainda na terça-feira, no momento em que anunciaram a greve de fome, além de que "nossa determinação nasce também pelo fato de que o Poder Judiciário viola a Constituição e impede o povo de escolher pelo voto, soberanamente, o seu Presidente e o futuro do país".

Seguranças do Judiciário, ainda na terça, retiraram à força os/a grevista/s e o grupo que os acompanhava. O ato durou 50 minutos. Formando um cordão, a equipe de segurança da Corte forçou a saída do local com empurrões. À noite, os/a seis foram conduzidos pela equipe de apoio até o Centro de Acolhida Assunção, também em Brasília, onde repousaram.

O grupo denuncia, no manifesto, temas como a volta da fome no país, a violência contra minorias sociais, o crescimento do número de epidemias e da mortalidade infantil, os ataques à educação pública e o aumento dos preços de combustíveis, do gás e dos alimentos, entre outros tópicos. Leia aqui o texto completo do manifesto.

Os ativistas são ligados à Central dos Movimentos Populares (CMP), ao Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) e ao Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), e a mobilização da greve de fome resulta de uma articulação com outros vários segmentos populares. Entre eles está o Frei Sérgio Görgen, militante sul rio-grandense do MPA. Graças à mobilização de agricultores, entre os quais estava o Frei Sérgio, a Caixa financia sob condições especiais a moradia rural desde 2003. Ele também participou, no final do ano passado, de outra greve de fome, com duração de dez dias, contra o avanço da Reforma da Previdência no país. A pauta, à época, não foi votada, mas deputados comprometidos com retirada de direitos já avisaram que a reforma poderá voltar a tramitar depois das eleições de outubro, com propostas piores do que as de 2017.

A mobilização tem apoio da Frente Brasil Popular e é composta, além de Görgen, por Jaime Amorim, de Pernambuco, Vilmar Pacífico, do Paraná, Zonália Santos, de Rondônia – ambos ligamos/ ao MST; por Rafaela Alves, do MPA de Sergipe, e por Luiz Gonzaga Silva, da Central dos Movimentos Populares de São Paulo.

Acompanhe as notícias mais recentes da greve de fome no site do MPA.

*Com informações do Brasil de Fato.

Últimas Notícias


Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal do Rio Grande do Sul Gestão. NOSSA LUTA É POR SUAS CONQUISTAS 2015/2018 Avenida Coronel Marcos, 851 Ipanema Porto Alegre / RS CEP 91760-000 Telefone: (51) 3268-1611 Fax: (51) 3268-2700